sábado, 12 de novembro de 2011

O Bom Dentista

Quando estava na faculdade, numa das clinicas de Periodontia, nosso orientador contou o caso de um paciente que elogiava seu dentista, que durante anos tratou seus dentes.
Tudo que o colega fazia ficava ótimo.
Canal, Restaurações, Coroas, PPR, etc.
Naquela conversa o elogio era para a dentadura que tinha acabado de fazer com o tal colega.
_Tirei todos os dentes e pus essa imediata que está show. Bonita, não machuca, não cai...
O professor contou este caso para exemplificar um caso de colega que não dava atenção a Periodontia.
Para ele, um bom profissional, nunca teria um paciente necessitando de Protese Total. Anos de relação deveriam ser suficiente para que o paciente mantivesse os dentes na boca. Pelo menos a maioria.
Anos tratando o paciente, e não conseguiu controlar a doença que acabou por levá-lo a Protese Total.
Sempre tive isso em mente, e a despeito da sentença de obrigação de resultado proferida contra um ortodontista, recentemente, sabemos que nem sempre o nosso melhor tem o melhor resultado. O paciente tem sua "enorme" parcela no resultado final.
Hoje, quase vinte e um anos depois da formatura, reavaliei a colocação do professor.
Desde recém, formada, atendo uma querida amiga de infância.
Diabética desde os vinte e poucos anos, dependente de insulina e nada disciplinada.
Restaurações, Endodontias, Tartarectomias foram muitas.
A doença periodontal apareceu e se agravou.
Fraturas e estética comprometida levaram a necessidade de Proteses individuais.
Outras fraturas, avanço da periodontite culminaram em coroas torais em todos os elemento superiores.
A indisciplina continuou.
Indiquei tratamento periodontal, mas, infelizmente, ela foi a uma colega do folheto da Bradesco Dental, e quando voltou... Nem é bom lembrar! Como Clinica Geral, faria MUITO melhor (não estou generalizando nada heim!).
Há alguns anos venho tentando manter os elementos em boca da melhor maneira possivel, mas fui vencida!
Hoje nós agendamos as Exodontias seriadas e a colocação de uma Prótese Total Imediata.
Devo dizer que estou dividida entre a tristeza e a alegria.
Alegria porque acredito que com a PT, minha querida amiga poderá recuperar a capacidade de mastigação e a estética.
Tristeza porque gostaria de ter tido um outro desfecho para essa história.
Fiz tudo o que pude. Tudo o que estava ao meu alcance, mas, não consegui motivar sua disciplina.
Espero que ela tenha essa consciência e possa elogiar minha PT também .

UPDATE: No dia 16/12/2011 fizemos as exo e a adaptação da imediata. Já ajustei 4 vezes e agora ela parece mais adaptada a nova realidade.
Eu ainda trabalho isso na minha cabeça!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Ainda sobre a invasão da USP

É provável que pouca gente leia este texto, mas preciso externar.
Alguns colegas o farão, espero!
A arruaça promovida por este bando de " idores de escola", sim, porque pra mim, ir na faculdade,não é estudar, é  algo absurdo.
Como alguém acredita, que a lei é mais lei pra uns que para outros?
Ser dependente de drogas é uma doença, mas isso não faz, com que seu uso deixe de ser crime.
Se isso já não bastasse, o fulano acha que pode invadir e depredar um prédio publico em nome da "sua" liberdade.
O estado hoje, teve que desviar 400 homens do efetivo policial, para fazer a reintegração de posse da USP.
Seres, espécie de humanos, que chamam a manutenção da ordem e o resgate do bem publico de "repressão"?
Em que mundo eles vivem? Em que país? Em que época?
Coitados, foram colocados em salas escuras, empurrados, sofreram violência. Devemos lembrá-los que eles iniciaram a violência.
Eu, de minha parte, quero que paguem por cada mesa e computador quebrado. Parte daquilo foi custeado com meus, nossos impostos.
Gostaria de saber a visão deles, se tivessem seu carro fosse roubado, ou sua irmã fosse atacada, aí a polícia poderia fazer seu trabalho? Aí não seria repressão?
Cada policial daquele estava só tentando fazer o seu trabalho.
Aos pais desses "meninos e meninas" deixo a minha visão:
"Quando o papai/mamãe não dão limites, a polícia tem que dar!"

domingo, 6 de novembro de 2011

Boliviano nascido no Brasil.

Não posso reclamar da recepção que tive na Espanha, terra do pai do meu marido. Eu não.
No entanto frequentemente tomamos conhecimento do impedimento da entrada de brasileiros em terras espanholas e em outros países da Europa.
Assolados em crise financeira, esses países, tentam com essas medidas impedir que os estrangeiros fixem residência por lá e com isso tomem, dos nativos, postos de trabalho.
Em alguns casos a atuação dos agentes de imigração chega a  causar constrangimentos aos "turistas", que sofrem discriminação e até tortura psicológica.
Por vezes ficam em salas incomunicáveis, sem comer, até serem "deportados".
Por quê aqui, então, o governo é tão permissivo?
Antes que gritem, sou descendente de italianos e sei da contribuição imensurável que estes, os portugueses, espanhóis, alemães e etc. deram para a formação e desenvolvimento do nosso país.
O foco da minha revolta, neste momento, são os bolivianos.
De novo: Não estou generalizando.
Moro na Zona Nordeste da Capital Paulistana. Bairro de classe média baixa.
Já há alguns anos que sofremos com a "ïnvasão" dos dissidentes de Evo Morales.
Durante a semana eles passam amontoados em casas fechadas e úmidas.
Vivem com medo de abrir a janela e serem descobertos pela imigração.
A imigração não entra, mas o sol também não.
Enchem os postos de saúde com problemas respiratórios, e invariavelmente dão endereço errado.
Rapidamente têm filhos, e os registram. Assim sentem-se mais seguros.
Trabalham na sua grande maioria em oficinas de costura, montando peças e ganhando centavos por cada peça. Quase trabalho escravo.
Se revezam em turnos, de forma que as máquinas nunca param.
Assim que conseguem alguma "estabilidade" mandam buscar outros.
Quando não são trazidos por "gerentes" de oficinas já pensando na mão de obra barata. Não reclamam da situação. Têm medo.
Nos finais de semana é que se fazem vistos. Aparecem em grupos e pequenas familias. Tem sempre uma criança "brasivoliana" .
É neste ponto que me pego.
São muitos e ilegais. Entram simplesmente atravessando a fronteira.
Ocupam postos de trabalho de brasileiros e sobrecarregam o sistema de saúde, sem contribuir com um centavo para isso.
Não acho que devam ser discriminados ou enxotados, mas sim termos uma política de limitação de entrada, ou maior fiscalização das fronteiras.
Sinto que tenham más condições em sua terra natal, mas quando os brasileiros, assim pensam, e procuram melhores condições, em situação de ilegalidade em outros países, são deportados quando descobertos.
Desejo apenas que as autoridades imigratórias brasileiras revejam suas ações e protejam os empregos e o serviço de saúde do nosso povo.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O dia que eu virei Titia!



Minha irmã mais velha tem apenas 1 ano e meio mais que eu, mas nós somos muito diferentes.
Ela é calma, pensa pra falar, estudiosa, adora ler. Estudou Historia da Arte na Italia (chiquérrimo!). É Designer.
No dia que ela completou 25 anos contou que estava grávida. Acompanhei de longe. Eu estava no penúltimo ano da faculdade e praticamente morava fora.
Lembro como se fosse hoje. Minha mãe me ligou no trabalho, na hora do almoço.
-Celinha, a Silvia ganhou nenê. É uma menina! (não se fazia ultrassom pra saber o sexo).
Fiquei com os olhos merejados . A tata era mãe! Era dia 17/10/1989.
Naquela noite não fui pra faculdade. Fui ao hospital São José do Brás ver minha primeira sobrinha. Antes eu comprei, aquela que eu queria que fosse, a sua primeira boneca. Uma Mônica.
Ela era pititica. Menos de 3kg, saudável e bem branquinha.
Cresceu muito inteligente. Cedo foi pra escolinha e com 3 anos sabia o nome das 24 cores da caixa de lápis de cor.
Era o máximo vê-la diferenciar marrom de ocre.
Aos cinco anos os pais foram orientados a colocá-la na primeira série. Tomou gosto pela escola, e aos quinze já saía do ensino médio.
Concluiu o curso de Inglês e começou a dar aula.
Com 18 se formou em pedagogia. Toca violão e guitarra. Praticamente autodidata.
A música a aproximou do alemão. Comprou um dicionário, alguns livros e prestou outro vestibular.
Atualmente faz o segundo ano de Letras Português/Alemão na USP. Mora sozinha, numa republica.
Hoje esta menina, que teve a sorte de nascer numa família maravilhosa, completa 22 anos, e este texto é uma pequena homenagem a todas as suas conquistas. Que assim continue!
Parabéns, Marina, sobrinha querida!
E desculpe eventuais erros. Nunca fui boa nisso!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

12 de outubro é dia de quem???

 

Eu me considero ecumênica.
Creio basicamente num Ser superior, criador de tudo e de todos.
Ele pode ter vários nomes.
Um Ser que nos concedeu o livre arbítrio.
Creio no seu filho, que habitou a terra entre nós, ajudou e tentou ensinar a quem se  dispôs a ouvi-lo.
E em Nossa Senhora.
Neste dia 12/10 rendo minha homenagens a ela, que passou pelo maior sofrimento que uma mãe pode passar: ver o sofrimento e a perda de um filho.
Maria, a mãe de Jesus é celebrada como Imaculada Conceição e recebe um complemento de acordo com o local de adoração.
No Brasil, a historia conta que, durante uma pescaria que nada rendia, foi encontrada pelos pescadores, uma imagem de Santa, primeiro o corpo, depois a cabeça, no Rio Paraiba do Sul a 12 de outubro de 1717. A partir deste instante os pescadores tiveram a melhor pesca possível. A imagem foi identificada como sendo de Nossa Senhora da Conceição.
Passaram a adorá-la como Nossa Senhora da Conceição Aparecida ou simplesmente Nossa Senhora Aparecida. A noticia correu. 
Os fiéis aumentaram e em 1734 o vigário de Guaratinguetá construiu uma capela, visto que o numero de romeiros aumentara muito.
A partir de 1928 o local passou a municipio, e recebeu o nome de Aparecida, no estado de São Paulo, em homenagem a Santa, e é conhecido como o maior Santuário Mariano no Mundo.
Ela é a Santa Padroeira do Brasil.
Que ela abençoe nosso país.

sábado, 8 de outubro de 2011

O FRASCO DE MAIONESE E CAFÉ



Recebi esta mensagem de uma querida amiga e devo admitir, que me senti culpada por não tomar um café com ela mais frequentemente.


Quando as coisas na vida parecem demasiado, quando 24 horas por dia
não são suficientes...Lembre-se do frasco
de maionese e do café.

Um professor, durante a sua aula de filosofia sem dizer uma palavra, pega num frasco de maionese e esvazia-o...tirou a maionese e encheu-o com bolas de golf.
A seguir perguntou aos alunos se o frasco estava cheio. Os estudantes responderam sim.
Então o professor pega numa caixa cheia de pedrinhas e mete-as no frasco de maionese. As pedrinhas encheram os espaços vazios entre as bolas de golf.
O professor voltou a perguntar aos alunos se o frasco estava cheio, e eles voltaram a dizer que sim.
Então...o professor pegou noutra caixa...uma caixa cheia de areia e esvaziou-a para dentro do frasco de maionese. Claro que a areia encheu todos os espaços vazios e uma vez mais o pofessor voltou a perguntar se o frasco estava cheio. Nesta ocasião os estudantes responderam em unânime "Sim !".
De seguida o professor acrescentou 2 xícaras de café ao frasco e claro que o café preencheu todos os espaços vazios entre a areia. Os estudantes nesta ocasião começaram a rir-se...mas repararam que o professor estava sério e disse-lhes:


'QUERO QUE SE DÊEM CONTA QUE ESTE FRASCO REPRESENTA
A VIDA'.
As bolas de golf são as coisas Importantes:
como a FAMÍLIA, a SAÚDE, os AMIGOS, tudo o que você AMA DE VERDADE.
São coisas, que mesmo que se perdessemos todo o resto, nossas vidas continuariam cheias.

As pedrinhas são as outras coisas
que importam como: o trabalho, a casa, o carro, etc.
A areia é tudo o demais,
as pequenas coisas.

'Se puséssemos 1º a areia no frasco, não haveria espaço para as pedrinhas nem para as bolas de golf.
O mesmo acontece com a vida'.

Se gastássemos todo o nosso tempo e energia nas coisas pequenas, nunca teríamos lugar para as coisas realmente importantes.

Preste atenção às coisas que são cruciais para a sua Felicidade.

Brinque ensinando os seus filhos,
Arranje tempo para ir ao medico,
Namore e vá com a sua/seu namorado(a)/marido/mulher jantar fora,
Dedique algumas horas para uma boa conversa e diversão com seus amigos
Pratique o seu esporte ou hobbie favorito.


Haverá sempre tempo para trabalhar, limpar a casa, arrumar o carro...
Ocupe-se sempre das bolas de golf 1º, que representam as coisas que realmente importam na sua vida.


Estabeleça suas prioridades, o resto é só areia...


Porém, um dos estudantes levantou a mão e perguntou o que representaria, então, o café.

O professor sorriu e disse:

"...o café é só para vos demonstrar, que não importa o quanto a nossa vida esteja ocupada, sempre haverá espaço para um café com um amigo. "

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Sombras

Primeiro eu perco o apetite.
Em seguida me sinto mais cansada e irritada que o habitual
Invariavelmente uma gripe oportunista aparece.
É um mal estar leve. Uma espécie de enjoo.
Eu sei que algo me incomoda mas não sei o que.
Os dias passam e eu acabo percebendo que é ela!
A ansiedade, prima irmã da depressão!
Alguns perguntam: Por que?
A gente pergunta: Por que?
E este é o lado pior. Não tem porque!
Que bom seria se sempre os porquês tivessem uma explicação.
Recorro aos florais e a boa e velha alopatia.
Não quero sair pra trabalhar, mas o trabalho me faz muito bem.
Lá eu esqueço. Dou um sentido as atividades e o fazer algo pelos outros, sempre me faz bem.
Volto pra casa.
Volto pros meus, ainda com sombras nos olhos.
E em mais alguns dias eu volto pra "mim".
Espero!!!!!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Cansei!!!



Hj atendi um Sr. que é paciente do colega dono da clinica onde faço endo.
Um chato conhecido.
A fratura de um amálgama antigo no 15, levou a indicação de endo para fins protéticos.
Paciente cardíaco com a orientação do médico: Sugiro anestesico sem vaso!
Canal atresiado, só visivel na rx, do terço médio para baixo.
Mais de 80 min descendo com cuidado pra não trepanar. e nada.
Decidi interromper. Fechei com oze. Continuo na proxima consulta. O proximo paciente ja aguardava.
Expliquei sobre atresia, dentina reacionária, etc.
_Mas vai ficar assim? E se doer?
_Não vai doer!!!
_Mas e se doer, não posso tomar nada. Eu sou cardiaco! Meu problema é que quando tomo anestesia tenho arritimia (?). Da ultima vez que tomei anestesia, tive arritimia dois dias depois.
_Não vai doer!!! E o anestésico sem vaso é eliminado no primeiro xixi que o Sr. fizer. Não tem como ter arritimia dois dias depois do procedimento.
_Bom, eu não sei, Só se foi coincidência, mas...
Como só atendo lá as segundas feiras, e semana que vem o horario está tomado, agendei para 10/10.
_Como assim. E se doer?
_Eu não tenho agenda pra o dia 03/10. e não vai doer.
_A Sra me dá o seu celular, porque se doer...Sua agenda está tomada, mas deve ter uma excessão.
_Pra mim todos os pacientes são iguais, e estes estão aguardando a consulta da semana que vem. Eles podem estar com dor.
_Eles que se danem. Eu estou preocupado comigo...
_Sua visão é muito egoísta, eu penso diferente, e pra semana que vem eu não tenho horário (a essa altura nem que tivesse).
_Eu só vim pq o Dr. Carlos me indicou a Sra., mas não devia ter mexido, devia ter deixado até o dia que doesse.
_E agora, se doer, vou passar a noite em claro.
_NÃO VAI DOER!!! E SE DOER O SR PODE ME LIGAR EM CASA! Vamos esperar doer para nos preocuparmos.
_Bom então tchau! ( E foi saindo)
_Ei, o Sr. tem que me pagar! (Ele havia ligado antes pedindo pra segurar o cheque pro dia 10/10, eu aceitei mas pedi que trouxesse os dois cheques).
_Como pagar??? A Sra. não resolveu o meu problema e eu tenho que pagar???
_Eu estou tentando localizar um problema que o SEU dente tem. A atresia é sua. Eu trabalhei 1:30 e tenho que receber por isso SIM!
Ele relutou.
_Está bem, vou fazer os QUATRO cheques.
_COMO??? Eu divido em duas.
_O Dr. Carlos falou que eu posso juntar com o dele.
_Não pode não! Mas, vou falar com ele pra entender o que houve.
Ele se foi.
Meu colega não tinha unido tudo. Melhor assim.
Vou me recusar a atendê-lo novamente.
Legalmente tenho que indicar um colega pra continuar o tratamento e disponibilizar as informações que tenho.
Ele me distratou e não me pagou. Me deu o direito de recusá-lo.
Alguma duvida de porque este "especie" de humano é cardíaco???
Para ilustrar o egoismo deste ser, imaginem a cena do naufrágio do filme Titanic, quando o noivo rico da mocinha, tenta entrar no bote salva vidas, no lugar de uma mulher com criança. Este 'ser' é bem este tipo.
Tomara que doa. E muito!!!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Sou assim mesmo!

Quem me conhece sabe: Quero sempre ajudar todo mundo.
Se vc me diz que está solteiro, reviro mentalmente meus contatos pra ver se conheço sua metade da laranja.
Se seu marido perdeu o emprego, logo penso, quem poderia empregá-lo?
Sou assim mesmo.
Mas tenho um lado generala, que também é bem conhecido.
Sempre assumi as tarefas de casa, nunca deleguei.
Fico aflita com o ultimo sabonete no armario, pago todas as contas, lavo e passo, faço o café da manhã pros filhotes às 5:30 mesmo odiando levantar cedo.
Quando saio pra trabalhar, já saio cansada.
Sou assim mesmo.
Mas com os filhos criados, e o marido que não janta em casa, cansei.
Falei pros filhos:
_A partir de hoje comemos um lanche a noite. Eles ficavam me esperando feito passarinhos no ninho, com o bico aberto, e eu ia pro fogão fritar bife às 21h. Parei.
E como a patente mais alta é a minha mesmo, aceitaram.
Se a generala não cozinha, os soldados rasos não jantam.
Ninguém reclamou.
Mas...
O filhote leva marmita e ontem eu cheguei e ia fritar o filé de frango pra fazê-la e pergunei: 
_Alguém quer?
SIM!!! Jantaram.
Hoje eu trabalhei só de manhã e estando em casa a noitinha vi os dois começarem a rodear a cozinha.
Me rendi.
Fui pro fogão e improvisei algo rápido.
Alho, cebola, tomate, pimentão, manjericão, sal água e juntei o macarrão.
Pronto, jantaram de novo. E com gosto!
Sou assim mesmo!!!
Pessoa de palavra!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

O que dá pra fazer em 46 anos???


Na minha memória mais antiga, eu devia ter uns 4 anos, e estava assistindo, numa TV de tubo, preto e branco, o homem pisar na lua. Era 1969. Lembro também da final da copa de 1970. O Brasil conquistava o tri campeonato mundial de futebol (como se isso dissesse algo pra mim naquela época).
Nós morávamos com meus avós numa casa no Imirim. Eu e minha irmã mais velha Silvia, brincávamos de casinha e comíamos salsinha e hortelã da horta da vovó.
Daí nós mudamos pro Jabaquara e eu fui estudar no "parquinho" (EMEI Leonor Mendes de Barros). Lá nós hasteávamos a bandeira semanalmente, fazíamos bolinha de papel crepon (que eu odiava!), brincávamos de balança e tomávamos merenda. Saí de lá com 7 anos e meu presente de final de ano foi esta boneca Mônica da imagem. Não é exatamente essa, mas a minha ainda existe e está na casa da minha mãe. Seu estado geral é satisfatório!
Fui orgulhosamente para a primeira série na EMPG Prof. Nelson Pimentel Queiroz. Nós morávamos numa vila e brincávamos livremente. Eu e uma "amiguinha" adorávamos brincar de boneca e meu pai nos chamava de trapeiras. Vivíamos enroladas em panos como se fossem vestidos de festa. Eu tinha uma SUSI com quarto e uma cozinha que meu pai fez sair água da torneira. UM LUXO! No carnaval nós pulávamos o muro da escola pra encher as "xiringas" de água e espirrar nos carros quando passavam. Adrenalina pura!
O tempo passou e eu cresci. Na Rege Globo (sempre ela!!!) a novela do momento era Estupido Cupido e daí veio a fase dos "bailinhos". Eu tinha mais ou menos 12 anos e descobri os meninos!!! O som vinha do vinil na vitrola. Tudo o que a gente queria era que os pais deixassem a "garagem" a meia luz  para nós dançarmos ao som de Neil Sedaka ou Celly Campello. 
Mudamos novamente e fomos pra o outro lado da cidade. Jaçanã. Nova escola (EMPG Otavio Pereira Lopes), novos amigos. O novo endereço era um apartamento, e meu pai, pra diminuir a prisão das crianças, ficou sócio do clube do bairro: o CCAA Guapira. Dos 13 aos 17 anos eu fiquei mais lá do que em casa. Lá eu pulei carnaval de salão, namorei muito e tive minhas primeiras desilusões amorosas.
Em 1981 fui fazer "colegial" no EMPSG Prof. Derville Allegretti. Fiz técnico em Prótese Dentária e minhas esculturas de molares, em cera, mais pareciam amoras. Nesta época eu tinha 16 anos arrumei e o primeiro emprego. Foi no CCAA escola de inglês. Eu era "secretária" (!).
Tive muitos outros empregos. Fui promotora de perfume em shopping, aux de escritório numa empresa de peças para caminhão, recepcionista de Psicóloga, recepcionista no cursinho Objetivo...
Nesta época mudamos para Guarulhos, na grande São Paulo.
Terminei o colegial em 1983 e em 1984 conheci o meu marido. Fiz dois anos de cursinho pra entrar na faculdade. Entrei em 1986 na antiga OSEC, hoje UNISA e ele entrou para direito em Guarulhos. 
Meu mundo mudou. Novos amigos, outros interesses. Nosso namoro sofreu com isso. Seguimos. Ele, decepcionado com as leis, abandonou o direito. Eu me formei em 1990, mesmo ano que nos casamos.
Ele decidiu pôr em prática um antigo sonho e entrou pra Polícia Civil em 1991. É Investigador.
Em 1992 nasceu nosso primeiro filho, o Pedro. Em 1996, chegou a Laura.
Tínhamos um videoK7 onde as crianças assistiam ininterruptamente o Lei Leão.
Vendemos nosso carro (um Escort) pra montar meu primeiro consultório. Ficamos a pé e cheio de dividas!
A vida seguiu, e mandou a fatura!
Meu pai faleceu em 2000, o que me tirou um dos pilares de sustentação. Em 2006, meu sogro faleceu. Outra  dura prova.
Não sei em que ponto me perdi, mas hoje me dei conta que sábado (24/09) eu farei 46 ANOS!
Tá bom, eu sei, é só mais um dia. Somente formalidade cível.  Mas tem um peso danado.
Hoje eu me comunico com pessoas, com metade da minha idade, via Internet. 
Meu filho tem carta de motorista e minha filha sofre sua primeira decepção amorosa.
Eu e o maridão continuamos aqui.
Decididamente, em 46 anos, dá pra se fazer muita coisa!!!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

7 de setembro


Estudei na época do regime militar, época que os ministros permaneciam no cargo por longos períodos. Estudávamos seus nome e cargos. Lembro até hoje o nome do Ministro de Minas e Energia, Sr Shigeaki Ueki, era o Governo de Ernesto Gisel.
Na pre escola hasteávamos a bandeira na segunda feira e recolhíamos na sexta ao som do Hino Nacional. Na semana da Pátria cantávamos o Hino da Independência que hoje trago pra vocês.
Quer dizer, cantávamos forma de expressão, afinal, quem com 6 anos cantaria certo, algo assim.
Hoje o 7 de setembro é apenas um feriado que este ano não dá nem pra emendar :( 
E pra ajudar, esta semana começa com a noticia de que a Sra. Marta Suplicy é a pré candidata mais bem colocada pra prefeitura de São Paulo.
E como brasileiro é besta, vai passar a semana falando do 11 de setembro americano e nem vai ver passar o 7 de setembro.
Ah, e sim, eu desfilei na parada do dia 07. Era o maior orgulho. 
Longe de mim fazer apologia aos governos militares, ou diminuir a tragédia americana, apenas acho que era dada mais atenção aos símbolos nacionais.
Essa é a letra do hino. Duvido que a maioria de vocês saiba a melodia.
Aqui vc pode ouví-lo numa versão orquestrada muito bonita.


Já podeis, da Pátria filhos,
Ver contente a mãe gentil;
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil...
Houve mão mais poderosa:
Zombou deles o Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Não temais ímpias falanges,
Que apresentam face hostil;
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Parabéns, ó brasileiro,
Já, com garbo varonil,
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.



quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A ironia de querer fazer canal!!!



Hoje atendi um daqueles pacientes.
Médico, pouco informado sobre dente e com MUITO medo.
O tipo que sua, treme, fica tenso o tempo todo.
Deixou bem claro que estava ali por motivo de força maior: Não podia morder.
Não era escolha.

Para ele, nós somos o monstro que mora no armário, aqueles do tipo do Monstros S/A.
Tô nem aí!!!
Quer melhorar: VAI TER QUE ME ENGOLIR.
Mas a vida é cheia de ironias.
O dente já tinha uma emergência feita por um colega, pq ele sentia dor ao morder.
Aliás, facilitou meu trabalho. Os canais estavam praticamente localizados.
Pra mim ele disse ter sentido dor quando mordeu em cima do curativo (dãããuuurrrrr!) Não era pra morder!
Miolo de algodão, o OZE afundou e doeu. Simples assim. NÃO!
Removido o OZE dei de cara com uma linha um tanto estranha. Sugeria fratura.
Descia pela parede Mesial, desde a crista marginal até a entrada do canal MV.
Observei muito tempo, querendo não acreditar. 
Boca boa. Dente com muita estrutura. Uma pena.
Coloquei um contraste na linha e RX e bingo: Fratura!!!
Nada se podia fazer. Exo indicada!
Na verdade vou tentar, na semana que vem, a rizectomia com exodontia da raiz mesial. E depois o colega vai instalar uma prótese.
Torçamos!
Mas o ponto é: Aquele mesmo paciente que chegou com medo, odiando a ideia de fazer endo, de repente, tudo o que ele queria era uma "simples" endodontia, seguida de classe II em resina.


Enfim, acredite: Não reclame do Dentista. Nada está tão ruim que não possa piorar!!!




terça-feira, 23 de agosto de 2011

O melhor remédio pra dor de dente é...

No quesito paciente brasileiro, existem basicamente dois.
O primeiro tem mania de se auto medicar.
Todo mundo conhece um remédio bom pra alguma coisa.
Ele conhece o farmacêutico pelo nome.
Tem em casa uma "farmacinha" com o que sobrou.
Um paracetamol da dor de cabeça, um voltarem da "ciática", um amoxil da "dor de garganta". Alguns chegam a ter todos, e quando compram já o fazem a mais, que é pra sobrar. Afinal, vai que...
Não surpreende que alguns estejam vencidos. 
Só vai ao médico quando nada resolveu. Tomare dê tempo!!!
O segundo grupo é dos que vão ao médico por "qualquer coisa". Normalmente têm plano de saúde. Tomam o remédio religiosamente (mas tbem guardam sobras) e conhecem todas as especialidades. São do tipo que sabe o telefone do pediatra de cor.
Por que cargas d'água o paciente odontológico sempre fica no primeiro grupo???
Que tipo de lógica existe em vc gastar $$$$ na farmácia, pra tentar controlar algo que vc nem sabe o que é?
Ás vezes não tem certeza nem de que dente dói? Ou se é dente ou gengiva.
Por que passar noites em claro. Tomar dipirona no gargalo, intercalar com paracetamol (o médico disse pra fazer assim com meu filho).
O cara passa a comer só de um lado, e por vezes deixa até de comer.
Faz bochecho de água de batata com sal e vinagre (sempre pergunto pq não por azeite tbem???)
Tá bom, vc tem medo. É da geração que acredita ser o dentista o clone do demônio?
Mas eu pergunto: Pode ficar pior???
Vc realmente acredita que se fôr ao dentista pra sanar esta dor, ele vai fazer uma pior???
Vá lá, vc tá sem tempo esta semana. O colega só tinha horário pra sexta e hj é segunda, e a dor é controlável com analgésico. Compreensível. Mas gastar os tubos na farmácia e ainda continuar com dor é burrice.
Liga lá, marca. Enfrenta logo isso.Procure um serviço gratuíto. Talvez vc precise ser medicado, mas por alguém que sabe o que está fazendo.
E guarde bem isso: "Remédio pra dor de dente é DENTISTA."

A Primeira Balada

Sabado meu filhote dormiu fora!
Tá bom, vc pode achar isso uma bobagem. MAS NÃO É NÃO!!!
Vc cria o bonitinho, troca fralda, passa talco, leva na escola, no parque, cuida da febre e ele sem a menor cerimônia, cresce!
Arruma uma namorada, um emprego e sem mais nem menos diz: Mãe, vou sair e só venho amanhã!
Como assim, o que aconteceu com o : "Mãe, posso ir no shopping?" ou o "Mãe, mi leva na festa?"
Não sou do tipo ciumenta, que é íntima dos amigos e familias. Pouco sei sobre a namorada.
No fundo é pra isso que a gente cria os filhos; independência, responsabilidade.
Eu continuo levantando cedo pra preparar o leite e a marmita, e o beijo de tchau é a minha melhor sensação.
Eu sei, eu sei: Ele já é um homem.
Aos dezoito anos eu já trabalhava há três, e namorar era meu esporte preferido.
Dormia fora e viajava com amigos.
Mas o meu filhinho...
Tá bom, tá bom, vou tentar desencucar.
Vai filho, mas TOMA CUIDADO, NÃO MEXE COM DESCONHECIDO, LEVA DOCUMENTO, NÃO REAGE A ASSALTO, AVISA QUANDO CHEGAR LÁ e se precisar LIGA QUE A MAMÃE VAI BUSCAR!!!
É, ele cresceu, mas eu não!
E de pensar que ainda tem a menina com 15.
Eu sobrevivo.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Top 5 - @perolas_odonto

É engraçado como é fácil conseguir um sorriso de alguém.
Um bom dia sincero.
Um telefonema.
Um bilhete na geladeira.
Um elogio.
Hoje meus queridos amigos de Odontosfera, me fizeram sorrir com apenas um clique.
Amigos que fiz no twitter, me ajudaram a pôr um blog despretensioso no ar, o Odontostalgia, e depois votaram nele, numa eleição simbólica, divertida e meio nonsense: o Top 5 do @perolas_odonto
Ganhei o dia. Uma espécie de #FF pessoal!
Obrigada pelo carinho.
Uhuhuhu! Me dei bem :)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Código de Ética Odontológica



O CFO iniciou trabalhos para promover atualização do CEO (Codigo de Ética Odontológica) e o CROSP esta colhendo sugestões.
Você pode participar entrando neste link : http://www.crosp.org.br/codigo_etica/
Eu dei uma breve olhada e acho que maioria das alterações são para diminuir as possibilidades de interpretações.

O ponto que mais me intrigou foi este, no ítem DEVERES Fundamentais do Cirurgião Dentista-
"XXX – tratar com civilidade e decência o Conselho Federal e Conselhos Regionais de 
Odontologia, bem como seus diretores, abstendo-se de práticas injuriosas, difamatórias 
ou caluniosas contra a instituição e sua diretoria,"

Como seres humanos, civilizados e educados, devemos manter esta atitude com todas as pessoas.
Pra que o CROSP quer colocar no Código?

Tem também o ítem Entrevistas e Palestras

Proposta de Inclusão:
Art.... É vedada a realização de palestras em escolas, empresas ou quaisquer entidades 
que tenham como objetivo a divulgação de serviços profissionais e interesses particulares, 
diversos da orientação e educação social quanto aos assuntos odontológicos.
Art... Constitui infração ética:
I. a distribuição de material publicitário e oferecimento de brindes, prêmios, benefícios ou 
vantagens em palestras realizadas em escolas, empresas ou quaisquer entidades;

Se as empresas não são regidas pelo Código, então não constitui infração ética, mas o pequeno empresário inscrito no Conselho sofre punição? Dois pesos e duas medidas.
A menos que eu tenha entendido errado!
Mas leia, participe, só assim poderemos reclamar.
Lembre-se, quem não decide permite que decidam por ele.


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Então, mudamos!





Há muito não me dedicava tanto tempo a minha casa.
Desmontar uma casa depois de 20 anos requer uma operação de guerra.
Coisas que vc nem lembrava que tem.
Outras que vc não lembra pra que serve.
Lembranças guardadas que afloram emoções.
E atacam a rinite.
Nova casa.
Novo endereço.
O mesmo lar!
Familia é tudo de bom.
Tudo bem que eu não sei onde está o tênis da filhoquinha, nem o relógio do maridão, mas vou achar.
Aos queridos amigos que contribuiram para esta realização, seja financeiramente, logisticamente ou enviando bons fluidos, meu MUITO OBRIGADA!
Sejam bem vindos!
Um café eu posso servir.
Sei onde está o pó, o coador, o açúcar e as xícaras.


domingo, 7 de agosto de 2011

Sem nada!!!



Sem coragem;


Sem tempo;


Sem inspiração;


Sem controle;


Sem paciência;


Sem sentido;




                                    Com fé!!!



segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Inveja ou admiração???



Então tá: Eu sou um, “pouquinho”, invejosa.
É o tipo de sentimento que tenho dificuldade em assumir.
Mas, eu sou humana, e devo dizer, que a minha inveja não causa prejuízos.
Poderia chamar tal sentimento de admiração, mas  não expressaria totalmente o que sinto.
A inveja é algo pesado, carregado de cargas negativas, eu sei, mas...
Por vezes ela me leva a lutar, brigar por conquistas, que nenhum outro sentimento faria.
Tem gente que usa o termo “inveja branca”.
Eu prefiro o original.
Prefiro diminuir sua carga e pensar, que assim como saudade, às vezes, o sinônimo não diz exatamente o que se quer dizer.
Quando sinto a tal “pontinha” de inveja, consigo, imediatamente, e com a mesma intensidade, admirar o meu invejado.
Que ele continue conquistando, e me incentivando a fazê-lo também.
#prontofalei!!!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

O trauma e a dentista

Costumo dizer que não sei quando decidi ser dentista, mas sei sim.
Foi quando vi esta foto !
Vc que chegou agora, não sabe, mas antes das TekPix e celulares com câmeras, no tempo da foto com filme, poucas mães faziam registros frequentes dos  filhos. E sem photoshop ou pré visualização das fotos, muitas das 36 posições eram descartadas por olhos vermelhos ou cabeças cortadas.
Para  registrar os momentos de seus rebentos, existia a figura do fotógrafo domiciliar, que as empresas enviavam de casa em casa. Marcava-se um horário e fazia-se a sessão de fotos. A produção se limitava a troca de roupas e uso de alguns objetos da casa, como flores ou livros.
Alguns dias depois, o fotógrafo voltava com o álbum pronto e com as faturas. Mensalmente vinha receber, nada de cheques pré datados.
Minha mãe fez nosso álbum por volta de 1971. Minha irmã caçula ainda não existia.
As fotos são simples, sem grandes tratamentos.
Para três crianças, são doze fotos de mais ou menos 25X30 cm.
E pasmem, esta minha foto é a capa do álbum.
Os padrões estéticos eram outros, e a saúde bucal, mal era considerada. Na nossa realidade, dentista só quando doía. Além do que , ia trocar os dentes de leite mesmo! Lembro da minha mãe nos mandando escovar os dentes de manhã, por estarmos com mau hálito, mas não me recordo de escovar os dentes pra dormir. Eu nunca usei chupeta ou tomei mamadeira.
As escovas tinham a opção de cerdas duras. Acreditava-se na sua maior eficiência. De tempo em tempo minha mãe colocava as escovas de molho na “cândida”.
Minha irmã mais velha já tinha trocado os incisivos e meu irmão mais novo ainda não tinha tido tempo de cariar os dentes. Então fica a pergunta? Por que esta minha foto, com todos os dentes anteriores cariados, foi a escolhida para ser a capa do álbum? 
Como vocês podem ver, meu lado perfeccionista já aflorava. Se é pra fazer cárie, vou fazer bem. Grande e pra todo mundo ver :(
Acho que isso ficou no meu subconsciente, e, mais uma vez, o Universo conspirou a meu favor.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Comunicado urgente: Participe da Consulta Pública n° 34 da ANVISA

  Comunicado urgente: Participe da Consulta Pública n° 34 da ANVISA

Cara colega,

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo alerta os cirurgiões-dentistas do Estado de São Paulo sobre a Consulta Pública nº 34/2011, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que dispõe sobre mudanças em aspectos relacionados a equipamentos de saúde sob regime de vigilância sanitária - usados, recondicionados, doados, alugados e em comodato, inclusive equipamentos odontológicos.
A proposta tem como objetivo proibir a importação, comercialização, troca e doação de equipamentos usados que não tenham sido submetidos a recondicionamento. No entanto, a resolução também é especifica ao indicar que “o recondicionamento deverá ser executado exclusivamente pelo fabricante ou terceiro sob sua responsabilidade.”
O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo é favorável a instituição de normas para garantir a devida manutenção dos equipamentos odontológicos, preservando a saúde do paciente e do cirurgião-dentista, aos que se referem a radioatividade.
Mas centralizar os direitos de manutenção exclusivamente nos fabricantes, além de contrariar a liberdade de mercado, irá burocratizar todo o processo de recondicionamento de qualquer equipamento, já que até a troca da peça mais simples, mesmo que facilmente encontrada no mercado com idênticas especificações de qualidade, estaria vinculada ao fabricante do equipamento.
A medida poderá acarretar ainda na supervalorização do recondicionamento. As empresas poderão cobrar o quanto desejarem pela manutenção ou mesmo se negarem a oferecer esse tipo de serviço.
Esta iniciativa dificultará a realização das atividades de manutenção de equipamentos odontológicos em todos os municípios, mais intensamente os de pequeno e médio porte, além de onerar os serviços prestados aos cirurgiões-dentistas.
Tendo em vista que a proposta irá prejudicar todos os colegas e não trará beneficio algum para a sociedade o CROSP pede aos cirurgiões-dentistas que se manifestem no site da ANVISA, impreterivelmente, até o dia 26 de agosto.
A partir de iniciativa do deputado federal Eleuses Paiva (DEM/SP), que tem defendido na Câmara Federal as reivindicações da classe odontológica, o presidente do CROSP Emil Adib Razuk foi convidado para participar de Audiência Pública para debater essa Consulta Pública, na Câmara dos Deputados, no segundo semestre de 2011.
Autoridades que participarão da Audiência Pública:
  •        Dr. Dirceu Bras Aparecido Barbano – Diretor-Presidente da Anvisa
  •         Dr. Franco Pallamolla – Presidente da ABIMO
  •         Dr. Manoel Aparecido Gomes – Presidente do Colégio Brasileiro de Radiologia;
  •      Dr. Emil Adib Razuk – Presidente do Conselho Regional de São Paulo

Colega, não se omita e não fique inerte. Participe da Consulta Pública nº 34 da ANVISA.

O processo é rápido e pode ser feito em até três minutos: 
            2.       Clique aqui para baixar o Formulário para envio de contribuições em consulta publica

3.   Preencha seus dados de identificação

4.   Envie o formulário para o e-mail 
tecnologia.produtos@anvisa.gov.br ou para o fax(61)3462-6644
É importante que a mobilização seja coletiva e organizada.
Para isso, o CROSP pede que ao participar individualmente, o cirurgião-dentista não deixe de enviar uma cópia da sua manifestação sobre a Consulta Pública nº 34 para o e-mail presidente@crosp.org.br
  
É o CROSP lutando sempre por você!

Não basta ser avó!

Minha avó materna, Maria das Dores, era uma pessoa seca, amarga.
Casamento infeliz, separação numa época que isso marcava a pessoa.
Ela vivia de casa em casa. Pra mim, quando criança, de repente, minha vó surgia.
Cheia de sacolas, trazia sempre um docinho. Muito católica, benzia os netos.
Ficava alguns dias. Dormia na sala e, novamente, de repente, ia embora. Nunca soube pra onde.
Ela foi minha primeira paciente. Ainda nem era formada. Pra ela tava tudo bem. Ser sua neta, quase dentista,  era o bastante.
Ia me encontrar no consultório onde eu trabalhava de auxiliar e que meu chefe tinha liberado pra eu começar a fazer uns OZE na hora do almoço.
Me levava um lanchinho. Ovos cozidos, por exemplo.
Ainda que não dissesse, tinha muito orgulho de mim.
Depois de anos de batalhas judiciais, ela recebeu uma casa do meu avô. Agora ela tinha um endereço.
Lembro do dia que ela fez lasanha pra nos receber na casa nova.
Aproveitou pouco.
Adoeceu e precisou ficar com as filhas (minha mãe e uma tia).
Fiz nela, algumas injeções, que ela dizia não sentir nada. Tenho minha dúvidas.
Ela faleceu e não foi a minha formatura.
Em corpo, porque em espirito, eu tenho certeza que ela estava lá.
Com minha avó paterna, Dona Elide, morei quando criança.
Era ela que colocava os tampões nos óculos meu e da minha irmã, todas as tardes pra corrigir a vista preguiçosa.
Depois da sessão da tarde tinha o lanche, café com leite e farinha de rosca. Esquisito, mas delicioso. Ainda hoje este sabor me transporta para aquela época. Inicio dos anos 70. Noutras tardes era mingau de maizena. Tudo muito light como se pode ver.
Comi muita salsinha e hortelã da horta do quintal, como comidinha nas brincadeiras de casinha.
Bonachona, respondia quando a chamavam de preguiçosa: "O que eu feis eu feis. Quem quisé agora que faça!"
Nesse 26/07, dia dos avós, minha homenagem a todos os vovôs e vovós, em especial as dos meus filhos
D. Cidinha e D. Ruth.

domingo, 24 de julho de 2011

Mistérios

A vida ta bem.
A saúde ta bem.
A familia ta bem.
Mas a cabeça não!
Nem sempre existe uma explicação lógica. Aliás, eu não sou nada lógica.
Alguém tuitou:
O urso polar gosta do frio. O bipolar, às vezes do frio, às vezes do calor...
Sou um urso bipolar.
Alguns dias, 24h não são suficientes pra eu fazer tudo que quero, e em outros, quero hibernar por dias, semanas, meses.
Explodo. A mão formiga. Desando.
Depois fico remoendo os excessos.
Sou consciente de toda a felicidade que tenho, e às vezes passo remoendo tristezas passageiras.
A ansiedade é minha companheira. Quero fazer tudo, ontem.
A mesma ansiedade que deprime e, às vezes, me leva a um estado letárgico.
É no trabalho que sou mais estável, e ainda assim, o PQM que me excita num dia, me irrita no outro.
Ter 45 anos não é fácil!
A carga pesa. A cabeça a mil.
O futuro começa a ser uma preocupação.
A mente esperta, mas o corpo cansado.
Mas pra resolver tudo isso, Deus criou o domingo.
Respiro fundo. Oro. Observo minhas conquistas e sigo.
E pra por em prática minhas reflexões dominicais, Ele criou a segunda feira.

sábado, 23 de julho de 2011

Cor de Rosa Choque

Rita Lee
Nas duas faces de Eva
A bela e a fera
Um certo sorriso
De quem nada quer...
Sexo frágil
Não foge à luta
E nem só de cama
Vive a mulher...
Por isso não provoque
É Cor de Rosa Choque
Oh! Oh! Oh! Oh! Oh!
Não provoque!
É Cor de Rosa Choque
Não provoque!
É Cor de Rosa Choque
Por isso não provoque
É Cor de Rosa Choque...
Mulher é bicho esquisito
Todo o mês sangra
Um sexto sentido
Maior que a razão
Gata borralheira
Você é princesa
Dondoca é uma espécie
Em extinção...


quinta-feira, 21 de julho de 2011

Odontologia Restauradora

Estes dias travei um diálogo via twitter com uma colega sobre o que era o sistema
NUVA FIL™ da Kulzer, então me dei conta da evolução das resinas vistas pelo usuário.
No caso: EU!
Em 1984 comecei a trabalhar como assistente de dentista. Para minha sorte, o colega era muito ligado nas novidades.
A resina de uso geral na época era a chamada pasta-pasta e os nomes comerciais de que me lembro era o Adaptic™ e Miradapt™.
Seu uso era exclusivo para dentes anteriores, até distal de caninos. O preparo tinha que ser retentivo já que a fixação era por embricamento mecânico. Nenhuma adesividade.
Cavidade pronta e limpa preparava-se a resina. Como o nome diz, eram compostas por duas pastas (base e catalizador).
A base era levemente amarelada, digamos que era algo perto do 66, e o catalizador branco.
Misturadas em partes iguais, era levada em posição e adaptada com tira de poliéster. Segurava-se até endurecer. Com brocas dava-se o formato mais próximo da anatomia original possível e polia-se com borrachas.
Com partículas grandes, eram muito porosas, o que favorecia o manchamento.
Tá, mas e se o dente não fosse 66?
Simples. A Miradapt™,  por exemplo, tinha corantes: amarelo escuro, claro, cinza e preto (que eu lembro). Era um exercício de advinhação. Na base você acrecentava uma pitada do corante que vc achasse que resultaria no final desejado. Podia ser mais que um. Tinha que lembrar de deixar um pouco mais escuro porque quando adicionasse  o catalizador clareava um pouco.
Tinha também uns corantes liquidos, parecidos com bond. Daí tinha azul, vermelho...
Simples não!!!
O colega já tinha o Sistema Nuva Fil™, mas usava pouco. Numa época que as importações não eram permitidas, era muito difícil comprar reposição. Mas era tudo de bom.
As cores seguiam a escala Vita™, Uhuhuhu! Mas não tinham dentina L A translucides desfavorecia a técnica. Mas pra época, tava bom demais.
Quando fui pra faculdade, os aparelhos já eram mais modernos, e as resinas ainda deixavam a desejar. Era preciso fazer um bisel muito largo pra mascarar uma Cl lll nos incisivos inferiores, por exemplo.
Posterior, só amalgama.
Teve uma fase, inclusive, que falava-se em “amalgama adesivo”.  Difundiu-se a idéia de ataque ácido, Bond e amalgama (!!!)
Os sistemas adesivos eram pra esmalte, e fazer ataque ácido em dentina era um sacrilégio.
Daí surgiu o primer; e atacar a dentina passou a ser indicação.
O Bond se uniu ao primer em uma só aplicação.
Hoje as resinas estão na 6º geração. As auto condicionantes. Tem até YO pra dentes clareados e outras bem firmes que permitem condensação e facilitam fazer o ponto de contato.
Eu uso as de 5º geração porque são mais abrangentes.
Pois é, a Odontologia Restauradora evoluiu mesmo!!!
Em tempo: A fonte da pesquisa, no caso " soy jo"!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

MUITO OBRIGADA!!!

Já contei algumas vezes, como pessoas, sob a conspiração do Universo, cruzaram meu caminho.
Essas pessoas, sem terem a real dimensão da ajuda, possibilitaram algumas das conquistas mais importantes da minha vida.
E ainda que nunca mais tenha visto algumas delas, deixo, neste dia do amigo, minhas sinceras homenagens.
Tem aqueles que me acompanham há décadas, e aqueles que entraram na minha vida há alguns meses.
Acreditem, todos tem o mesmo valor.
Que todos tenham a felicidade de cruzar com AMIGOS como eu cruzei na vida.
Ah! Ainda tem espaço pra novos :)

Só o tempo...





Only Time

Who can say where the road goes,
Where the day flows?
Only time...

And who can say if your love grows,
As your heart choose?
Only time...

Who can say why your heart sighs,
As your love flies?
Only time...

And who can say why your heart cries,
When your love lies?
Only time...

Who can say when the roads meet,
That love might be,
In your heart.

And who can say when the day sleeps,
If the night keeps all your heart?
Night keeps all your heart...

Who can say if your love grows,
As your heart choose?
Only time...

And who can say where the road goes,
Where the day flows?
Only time...

Who knows?
Only time...

Who knows?
Only time...


Só o Tempo

Quem pode dizer para onde vai a estrada?
Para onde o dia flui?
Só o tempo ...

E quem pode dizer se o seu amor cresce,
Conforme seu coração escolhe?
Só o tempo...

Quem pode dizer por que seu coração suspira
Conforme seu amor voa?
Só o tempo

E quem pode dizer por que seu coração chora,
Quando seu amor mente?
Só o tempo...

Quem pode dizer quando os caminhos se cruzam,
Que o amor deve estar
Em seu coração ?

E quem pode dizer quando o dia termina,
Se a noite guarda todo o seu coração?
Se a noite guarda todo o seu coração...

E quem pode dizer se o seu amor cresce,
Conforme seu coração escolhe?
Só o tempo...

Quem pode dizer para onde vai a estrada?
Para onde o dia flui?
Só o tempo ...

Quem sabe?
Só o tempo...

Quem sabe?
Só o tempo..

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Não diminua minhas conquistas!

Nasci numa familia de classe media, numa época que isso significava algo.
Sempre estudei em escola publica, numa época que isso era bom.
Optei pela Odontologia numa dessas conspirações do Universo.
Apesar das condições financeiras da minha familia, nunca pensei em não fazer a faculdade porque era cara.
Prestei USP, mas não deu.
Então, em 1986, decidi prestar todos os vestibulares da região, em pelo menos uma eu esperava entrar.
Foram 8 : Objetivo, Metodista, Mogi, Bragança, Unicid, OSEC, USP e uma para Biologia, sempre que possível, na opção noturno, e se entrasse no matutino ou integral, tentaria transferência. Trabalharia de dia e estudaria à  noite. Simples assim. Nem tanto!
Passei na segunda lista da OSEC/UNISA, no noturno. Pronto, primeira etapa vencida.
Assistente de dentista que eu era, meu salário era 1/4 do valor da mensalidade.
Paguei a matricula com dinheiro emprestado.
Pedi bolsa de estudo na faculdade e Credito Educativo na CEF (hoje FIES).
Em junho o credito educativo foi negado. Entrei em pânico. Chorei durante um laboratório de anatomia inteiro. Toda a turma tentava me consolar. Na grande maioria, felizmente, não entendiam minha realidade.
Eu já estava com 5 mensalidades atrasadas, e ir na tesouraria pedir liberação de prova era minha rotina.
Em julho, a faculdade me concedeu bolsa de 50%. Ufa!!!
Metida que sou, propus que me quitassem o primeiro semestre total e eu pagaria o segundo integral. Eles aceitaram , e eu pude dormir algumas noites tranquilas.
Fiz novo pedido de credito e em setembro ele foi aprovado. Foram os nove meses mais longos da minha vida. Agora sim eu podia dormir. Quando sobrava tempo!
Eu trabalhava o dia todo e cursava a noite. Maravilhosas pessoas cruzaram o meu caminho e facilitaram minha vida estudantil. O patrão com intrumentais (ele me emprestou uma alta e uma baixa rotação, entre muitos outros), colegas dando carona ou transportando minha maleta pesada, facilitando assim minha ida de ônibus. Emprestimo de livros  pelos colegas que namoravam e estudavam juntos  e me cediam o outro, faziam os trabalhos de grupo e eu, sempre falante, apresentava sem ter que ir às reuniões.
Varava noites estudando, num processo contra producente. No dia seguinte trabalhava o dia todo e à noite fazia prova muito cansada. Mas era o jeito. Em períodos de provas, fazia isso por duas semanas seguidas.
Passei em anatonia e bioquimica com a menor nota possível, mas compensei em Perio e Endo.
Nunca peguei DP. Morria de medo. Afinal, meu curso era financiado e se tivesse custos extras, passaria minha vida inteira pagando.
Precisei da ajuda de outros, inclusive do meu então namorado pra ser fiador junto a CEF. Foi um dos favores mais importantes que alguém já me fez na vida. Foram 3 no total.
Um ano depois de formada, o financiamento começou a vencer. Era pouco, mas eu também ganhava pouco.
Como usei por 4 anos e meio, tive 9 anos para pagar (o dobro), mas minha estrela brilhou novamente e as mudanças no dinheiro brasileiro, defasaram minhas parcelas.Consegui vencer mais esta etapa.
Fui trabalhar para colegas, nem sempre gostando, mas...
O colega pra quem eu trabalhava enquanto estudava era especialista em endo e perio, daí minha facilidade na faculdade. Mesmo sem saber o que ele estava fazendo, eu aprendia. E muito.
Minhas boas notas renderam convites pra fazer endo para os colegas que não queriam nunca mais ver uma lima K. Eu precisava trabalhar. Fui.
Como gosto de fazer as coisas direito, me atualizei e estudei muito. Acabou que me apaixonei pela Endo. Olha o destino agindo novamente. Eu não escolhi a endo, ela me escolheu :)
Com a chegada dos filhos, senti a necessidade de montar consultorio perto de casa. 
Vendemos nosso carro (ta bom, nosso Escort!) e fizemos divida novamente.Meu marido sempre foi parceiro.
Aluguei um ponto vizinho de casa. Não tinha telefone. Minha irmã cedeu uma extensão externa da casa dela. 
Dois anos depois, vagou um prédio que meu sogro tinha alugado e eu mudei o consultório pra lá, onde estou até hoje. E pretendo continuar.
Não teve sofrimento, nem vi isso tudo passar, mas não foi fácil.
Agora, quer me ver irritadíssima é falar pra mim: "É doutora, mas a senhora pôde estudar..."
Não meu caro, "Eu quis estudar..."
Fui atrás do meu sonho. Fiquei sem dormir. Fui morar fora e casa (com parentes). Gastava todo meu salário na dental. Comia de marmita e engoli muito sapo.
Como tenho poucos hectares, minha colheita é pequena, mas hoje vivo dela.
Sou feliz e realizada.
Você pode não dizer nada, mas não diga: Você pôde. 
Diga então: Você conseguiu!!!

sábado, 9 de julho de 2011

Diminuindo o trauma da endodontia


Esta pagina é pra ajudar vc que apesar de não dominar a endodontia, ainda não pode se dar ao luxo de dizer não faço.
Como toda especialidade, a endo tem os seus mistérios, mas o colega Prof Jesus Djalma Pecora pode te ajudar.
Na pagina http://www.forp.usp.br/restauradora/temas.html a endodontia é abordada em tópicos.
Você pode ler somente anatomia interna, instrumentação ou medicação intra canal.
-Navegar pela instrumentação rotatória, ou pela boa e velha lima K.
-Quando usar hipoclorito, clorexidina ou H2O2.
O texto é fácil e objetivo.
Você pode ir fundo nas revisões da literatura  ou direto nas conclusões, mas com certeza vai encontrar respostas para suas duvidas.
Pode ser que você continue sem muita afinidade com a endodontia, mas suas chances de erros diminuirão muito.
É como se você tivesse o professor de endo do seu lado.
E acredite, tem horas que isso faz toda a diferença.
Só não sei porque do “restauradora” no endereço!
Passa lá, vale a pena

quinta-feira, 7 de julho de 2011

As armadilhas do destino



Me encanta as conspirações do Universo.
Um dia vc decide estudar num curso pré vestibular porque ele é o mais próximo de casa.
À noite, pq trabalha o dia todo.
Nas turmas de maio porque perdeu a do inicio do ano.
Pelos mesmos, ou por outros motivos, ele toma a mesma decisão.
Vocês se conhecem. Idas e vinda e começam a namorar.
Mundos diferentes, realidades diferentes, mas não tem jeito, os caminhos cruzados agora estão atados.
Casamento, família e filhos como sequência natural.
Objetivos e projetos comuns ocupam suas mentes.
E de repente: Passaram-se 21 anos!!!
É assim que eu me sinto hoje.
É só mais uma data, um numero no calendário, mas com uma carga enorme!
Tudo o que fiz nestes 21 anos foi pensando no coletivo. Na “nossa” coletividade.
No dia 07/07/1990 nós iniciávamos uma nova fase em nossas vidas, que graças a DEUS dura até hoje, e durará por muitos mais.
Convido-os a compartilhar comigo a alegria deste dia, minhas bodas de Zircão.
Em tempo: Esse principe já tem dona!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

A diferença entre querer e precisar

Costumo brincar dizendo que mulher nunca quer uma coisa: ELA PRECISA!!!
De um rimel, de um sapato, de um vestido, de um fotopolimerizador, de uma alta rotação etc.
É bem verdade que às vezes precisamos mesmo (no momento PRECISO de uma bota linnnnda!)
Mas precisar subentende-se que não se pode ficar sem. 
Em tempos de vasas magras sempre me pergunto: Posso passar sem isso?
E quando a resposta é sim, mudo meu foco.
Então: SÃO PAULO REALMENTE PRECISA SEDIAR A COPA DO MUNDO?
Eu adoro futebol e como disse alguem, "Futebol é a coisa mais importante entre a menos importantes".
Em época de Copa do Mundo o país para.
Para nós, pobres mortais, a Copa aqui muda em quê???
Os especialista (pq existe especialista em tudo) dizem que trará desenvolvimento (???)
A construção do Itaquerão fará com que Itaquera progrida e os investimentos que serão feitos lá, por causa da Copa, melhorarão a vida dos moradores.
Mas se a verba existe e as necessidades existem, não carece de Copa pra que se façam as obras.
O discurso gira em torno de melhorias para receber os turistas. Em que o turista é melhor do que a população fixa?
Eles trazem divisas. Ok! Mas no restante do tempo quem mantém a cidade, o país.
Quanto de resina, anestésicos e afins daria pra comprar para o SUS com o dinheiro do Itaquerão?
Quanto de saneamento básico poderia ser feito?
Quanto de aumento poderia ser dado aos policiais e professores?
Quantos Km de metrô seriam construídos?
Alguém dirá que estou fazendo demagogia, mas pra mim, este pensamento é ainda mais burro.
Pago imposto, voto e tenho direito a opinião.
Volto a dizer: Adoro futebol, mas me contento com os jogos do Verdão no Palestra ou no Pacaembú.
Que a FIFA, a CBF e a Seleção com seus médicos, fisioterapeutas, nutricionistas, cozinheiros e jogadores façam obras e eventos com dinheiro arrecadado com suas apresentações.
Dinheiro publico não financia meu consultório novo, e olha que eu  cuido de saúde. Por quê então deve financiar estadio de futebol?
Essa é a minha opinião e que " Revoguem-se disposições em contrario".

sábado, 25 de junho de 2011

Mudanças

Estou de mudança. Mudança de casa!
Mudamos o tempo todo. Mulheres então...
Mudamos de roupa, de cabelo, de humor, de estado civil...Nem percebemos.
Mudamos de namorada pra esposa, de filha pra mãe, de estudante pra profissional e nem percebemos.
Vim pra esta casa recém casada e costumo dizer que quem me deu não perguntou onde eu queria. Me instalei no Jardim Brasil.
Formei familia e me estabeleci. Nem vi as mudanças.
Agora estamos prestes a começar uma nova fase.
Uma casa pensada e feita ao nosso gosto, que consumiu nossas economias e algumas noite de sono, há poucas quadras daqui.
A nostalgia está rondando meus dias.
Sentirei falta. 
Aqui eu conheço cada pedacinho e fomos felizes.
Viraremos a pagina e entraremos num novo ciclo. Um ciclo complementar. É uma sequencia, não tem começo nem fim.
Que a familia que aqui se instalar seja tão feliz quanto nós fomos.
Que o Universo conspire a nosso favor.
E que muitos canais de molares povoem minha agenda. 
Haja recurso pra realizar sonhos!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Ética profissional. Você tem???


Ética profissional, não gosto do termo.
Fiz uma representação contra uma colega no CRO há alguns anos.
Não porque ela falou mal do meu trabalho, mas porque falou inverdade.
Explico: Após exo do 38 impactado, o 37 ficou sem suporte ósseo na distal. Apesar de ter ocorrido a reparação óssea, o 37 sofreu necrose asséptica e precisou de endo.
A paciente (do tipo que procura preço), com dor, procurou outra colega, que diagnosticou a imagem radiolúcida no periápice como “cisto” que havia sido causado pelo apoio que eu teria feito sobre o 37 durante a exo do 38.
Munida de um rx periapical e de um “laudo” da colega, fui procurada pela cliente e pelo seu “educado” marido a fim de que eu pagasse parte de tratamento.
Me recusei e fui ameaçada com processo.
Liguei pra colega (minha vizinha!) pra tentar entender. Sabe como é, o paciente poderia ter entendido errado.
Infelizmente, a colega com muita soberba me disse: Se o dente não tem cárie, como ele poderia ter o cisto. Só pode ter sido pela exo.
A cliente usou de termos que só um profissional poderia tê-la orientado.
Fiz a representação. Marcaram a audiência. Uma espécie de conciliação.
A colega disse, que não tinha dito, o que provavelmente disse. Basicamente levou um puxão de orelha. Principalmente pelo “pseudo” laudo. A colega mediadora orientou: Você nunca coloca no papel e assina, algo que não pode provar.
Ela tratou o canal e disse que a lesão sumiu. Não era cisto!
Eu não esperava que ela tivesse ética profissional, mas sim, que fosse ética.
Ética=Caráter.
Não dá pra ter ética na profissão, ou na vida, ou no jogo.
Temos que SER éticos.
Em nome de um corporativismo falta-se com ética com o paciente. Não lhe faltou ética somente para comigo. Quando levou o paciente a crer em algo que ela não tinha certeza, faltou com ética para com ele também.
Conhecedores das dificuldades da profissão temos que ter o bom senso ao avaliar um caso. Por vezes aquela era a única solução possível.  Se repetido, o trabalho ficaria ainda pior. Mas por isso não se entenda: Mesmo estando ruim nada vou falar. Novamente seria anti ético.
Colocar-se no lugar do outro. Como eu agiria se fosse comigo? Essa pergunta é o fundamento da Ética.
A ministra da Cultura que recebe diária sem ter trabalhado.
Médicos, dentistas, enfermeiros etc, recebem por plantões que nunca fizeram.
Solvente misturado a gasolina.
Policiais corruptos.
Ética: Ou você tem, ou não tem.

AH, O OLFATO!!!



Não que eu despreze os outros sentidos, mas o OLFATO me encanta!
Você pode fechar os olhos, a boca, tapar os ouvidos e amarrar as mão, mas ao sentir um cheiro, todos os outros sentidos respondem.
Hoje de manhã, um perfume foi capaz de me levar pra algum lugar há mais de vinte anos.
Cheiro de picadinho de carne com batata me leva pra cozinha da minha mãe, na adolescência. O polvo fervendo no fogão me leva pra minha sogra quando casei.
O cabelo dos meus filhos cheira igualzinho quando eles eram bebês.
O pijama do maridão me faz senti-lo ao lado, mesmo estando longe.
O cheiro de chuva me leva pra praia, e mato molhado me leva pro sitio.
A criação Divina é perfeita, mas ele caprichou muito no olfato.
Ainda que na minha profissão, por vezes, os odores não sejam tão agradáveis.
Mais uma benesse pra eu agradecer nas orações diárias.